Wi-Fi Passivo usa 10.000 vezes menos energia da bateria

Nova tecnologia do Wi-Fi passivo usa até dez mil vezes menos energia do que o normal para economizar a bateria.

Os smartphones atuais ainda não são muito eficientes em termos energéticos e com isso precisam que as baterias tenham a melhor tecnologia possível ficando assim mais caros, grandes e pesados. Um dos itens que consomem energia neste aparelho é o Wi-Fi, principalmente para quem fica navegando na internet, lendo e-mails, recebendo mensagens e notificações de vários serviços, baixando arquivos, etc.

Para tentar minimizar o uso da bateria e ser mais eficiente, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Washington, criaram o que eles chamam de um sistema de Wi-Fi Passivo, que não usa todo o poder do hardware do Wi-Fi em tudo, podendo usar menos energia para certos tipos de comunicação com a rede.

Wi-Fi Passivo

Com isso pode chegar a usar até 10.000 vezes menos energia do que os métodos convencionais, mas ainda oferece velocidade de transferência de até 11 megabits por segundo trabalhando a uma distância de até 30 metros de distância do modem ou roteador.

Além de ser compatível com os padrões Wi-Fi existentes, a equipe acredita que isso irá revolucionar a internet das coisas e potencialmente permitir novos tipos de comunicação que utilizam de certa forma energia intensiva.

Isso porque a técnica de espelhamento usada eliminaria a necessidade da maioria dos positivos conectados à internet de ter uma fonte de alimentação externa (que aliás esta tecnologia foi uma das razões de terem sido destacados como uma das 10 tecnologias mais revolucionarias de 2016 pelo MIT Technology Review).

A pesquisa foi financiada pela Fundação Nacional de Ciência, Universidade de Washington e Qualcomm, com os resultados sendo apresentados em março no Simpósio USENIX.

A tecnologia está sendo licenciada para uma empresa chamada Jeeva Wireless, então se você quiser saber mais a respeito desta tecnologia ou começar a utilizá-la, esta empresa será a primeira a comercializá-la.

Fonte: https://www.washington.edu/news/2016/02/23/uw-engineers-achieve-wi-fi-at-10000-times-lower-power/