A tecnologia, que entra na vida da população mundial de maneira cada vez mais avassaladora, pode gerar o vício da mesma forma que o álcool e as drogas, arruinando relações profissionais e pessoais dos usuários. A opinião é de John O'Neill, diretor para tratamento de vícios na Menninger Clinic, em Houston (EUA).

Segundo ele, algumas pessoas sofrem com uma "sobrecarga de tecnologia", com comportamento suscetível ao vício em relação ao uso de celulares ou e-mails.

"Eu acho que eles apresentam os mesmos sintomas de pessoas que se tornaram viciados em álcool e drogas, quando percebemos que alguém não consegue deixar isso [a tecnologia] de lado e parar de usar, mesmo quando há conseqüências", afirma O'Neill.