Significados das siglas e códigos de vídeos baixados da internet

Existem na internet milhares de filmes de DVD para baixar. Mas o que muita gente não sabe, são os siginificados e siglas que cada um leva.

Muitos ao fazer o download, pensam que é um filme de alta qualidade mas na verdade foram gravados direto do cinema por uma câmera amadora.

Filmes download

Para evitar isso, estaremos listando as Tags (siglas) mais comuns usadas nos vídeos encontrados na internet e algumas outras informações extras.

CAM (CAM): Com uma câmera de vídeo digital (DV - Digital Vídeo), os grupos gravam a tela do cinema, normalmente na pré-estréia. Lógico que a qualidade não fica nunca com a qualidade de um DVD. Mas esse meio é para quem
quer Novidade / Lançamento antes de todo mundo, as vezes antes mesmo de entrar para o cinema você já poderá ter-lo em seu PC.

TeleSync (TS): O sistema é muito parecido com o CAM, porém o sistema de captação de áudio é externo, já o CAM é onboard (microfone de câmera). Isso ajuda e melhorar e muito na qualidade do som. Muito TeleSync é filmado em cinema vazio ou da cabine de projeção com uma câmera profissional, dando uma qualidade melhor do retrato e do som.

R5: R5 se refere a um formato específico de DVD região 5. Em um esforço para competir com a pirataria, a indústria decidiu criar esse novo formato que é produzido mais rápido e mais barato do que os tradicionais DVDs. O que os difere dos DVDs tradicionais é que os R5 são transferidos diretamente de um tele cine sem qualquer tipo de processamento de imagem, e sem nenhum adicional. Isso permite que os filmes cheguem às lojas ao mesmo tempo em que os DVDs screeners são liberados. Às vezes os DVDs R5 são lançados sem áudio em inglês, exigindo que os grupos de pirataria usem o áudio de outra fonte. “Nesse caso o release possui a descrição “.LINE" para distinguir daqueles que possuem o áudio do original.

A qualidade da imagem de um R5 geralmente pode ser comparada com um DVD screener. A qualidade é melhor que dos Tele cines porque no caso dos R5 é usado equipamento profissional.
Antigamente os R5 eram chamados de Tele cines, DVCD screeners ou até mesmo DVD rips. No final de 2006 alguns grupos como o DREAMLIGHT, mSs e PUKKA passaram a nomear seus Releases de ".R5" e sugeriram a outros grupos que fizessem o mesmo.

TeleCine (TC): Um TeleCine é máquina que copia filme do rolos de cinema para o sistema digital. O som e a imagem são muito boas, mas esses equipamentos são muito caros e raros.

SCREENER (SCR): Geralmente fitas VHS promocionais que são enviados aos distribuidores, jornalistas e imprensa antes da venda. Porém existe algum tipo de material informativo, em forma de texto passando pela tela, ou aparecendo por um determinado tempo, ou até mesmo deixando o filme em preto e branco. Por isso significa que o VHS não é comercial

DVD-SCREENER (DVDscr): A qualidade é idêntica de um DVD comum, porém existe algum tipo de material informativo, em forma de texto passando pela tela, ou aparecendo por um determinado tempo, ou até mesmo deixando o filme em preto e branco. Por isso significa que o DVD não é comercial, o DVD comprado em lojas. Ele é para divulgação, distribuídos antes do lançamento, normalmente para jornalistas e imprensa. Pré lançamento!

DVD-RIP (DVDRip): Uma cópia exata do DVD final liberado (aquele encontrado em lojas). Algumas vezes pode ser versão do diretor, o que é raro, mas é o mesmo do DVD comercializado.

VHS-RIP (VHSRip): Uma cópia exata do VHS final liberado, principalmente dos vídeos de skating/sports e de XXX.

TV-RIP (TVRip): Simplesmente a ripagem da TV da rede (capturado usando caixas digitais de cabo/satellite preferivelmente) ou PRE-AIR das alimentações de satélite que emitem direto às emissoras de TV, alguns dias antes da exibição. É capturado com uma placa de video-captura digital ligada num slot PCI do PC, geralmente dando os melhores resultados, o formato quase sempre é em MPEG ou AVI podendo ser convertido em VCD/SVCD/DivX/XviD.

WORKPRINT (WP): É uma cópia do filme que não foi terminada. Pode ter cenas incompletas, músicas e a qualidade podem variar. Algum WPs são muito diferente da cópia final e outros podem conter cenas extras. WPs pode ser agradável à coleção. Hoje em dia, muitas ADD (adicionais) de DVD, contêm essas cenas que são cortadas do filme final.

DivX Re-Enc: Um DivX re-enc-enc é uma transformação de sua fonte original, por exemplo VCD, e re-codificada para DivX. O objetivo é diminuir o tamanho original do arquivo, para outro bem menor. Encontrado geralmente em partes, como Film.Name.Group(1of2) etc... Lógico, que a qualidade do filme diminui também.

Watermarks: A maioria dos filmes são dos Asian Silvers/PDVD (pessoas do oriente que disponibilizam os filmes muito facilmente e a um preço pequeno, são geralmente gravados em DVD, mas encontramos também em formato VCD). Eles têm uma letra inicial ou um logo pequeno, geralmente em um dos cantos do filme. Os mais famosos são "Z", "A" e "Globe".

TELAS DE RELAÇÃO DE ASPECTO (Aspect Ratio Tags)
WS - Widescreen (letterbox)
FS - Fullscreen

TELAS DE CENA (Scene Tags)

Internal: Um release interno é feito por diversas razões. Os grupos clássicos de DVD fazem muitos releases do tipo INTERNAL. As ripagens do cinema tem uma qualidade mais baixa, então usam o INTERNAL para não baixar a reputação do grupo, ou devido à quantidade de ripagem já existentes. O grupo libera somente os filmes a seus membros. Isto está em o contexto diferente à definição usual.

Limited: Se o filme teve algum tipo de limitação e o grupo consegue acesso a isso.

RECODE: Um recode é uma versão previamente liberada, filtrada geralmente com TMPGenc para remover as legendas, a cor etc. do reparo.

RePack: Se um grupo liberar um Rip ruim, liberam um novo reparando os problemas.

Nuke: Um rip pode ser "NUKADA", banida por diversas razões. Se o grupo lançar como TeleSyncs, por exemplo, e não tem nada de "TeleSyncs", ou o filme tem uma diferença na qualidade do áudio, outro exemplo, a partir de X minutos de filme. Então o nuke global ocorrerá e o grupo perderá seus créditos. Verifique sempre antes os releases para não pegar algo que foi banido, por má qualidade por exemplo.

Nuke Reasons: BAD A/R - Relação de aspecto, distorção do filme. BAD IVTC - Processo de inversão telecine, conversão de framerates está incorreto. INTERLACED - Linhas pretas no movimento como a ordem do campo estão incorretas.

Proper: Significa que o primeiro lançamento possuía alguma forma de defeito, som fora de sincronia, baixa qualidade, tela pequena, etc.  Então outro grupo lança novamente os mesmo filmes corrigindo o defeito.

STV: Filmes ripados de DVD que nunca foram para o cinema, caíram direto para as locadoras e TVs.

Subbed: Ripagem com subtitle (legenda), local de origem do filme (poderá ser até em chinês).

SyncFIX: Pacote que conserta a sincronia entre áudio e vídeo de um filme.

UnRATED: Filmes sem cortes pela censura internacional.

UnSUBBED: Quando foi liberado uma versão, com legenda, e após esta, liberada outra sem legenda.

 


ENTENDENDO UM POUCO MAIS

RARset: Todos os filmes são fornecidos divididos em partes de 15000000 bytes compactados com o WinRAR, ou outro software de compactação, mas o WinRAR geralmente lê todos os formatos. Isso ocorre para facilitar a transferência via ftp, pois se ao transferir 700 MB de dados em algum momento o arquivo se corromper, você terá perdido um bom tempo de download. Usa-se (part01.rar > partxx.rar); (.rar > rxx) ou (001 > xxx)

Dupe: O DUPE é uma cópia de algo que já existe. Então não tem nenhuma razão para que exista outra vez.

Macrovision: Macrovision é a proteção de cópia empregada em a maioria de DVDs.

NFO: Um arquivo de NFO é fornecida com cada filme ou jogo para promover o grupo e dar informação geral sobre o release, tal como o formato, a fonte, o tamanho, entre diversas informações. NFO = Informações

Regional Coding: Regiões dos DVDs (região 1,2,3,4,...) de acordo com a distribuição de países.

RCE: RCE (Regional Coding Enhancement) foi projetado para bloquear players com "Multiregion", mas teve muitas das falhas e foi superado. Há muito poucos títulos RCE agora, e era muito impopular.

SFV: É fornecida também para cada disco um arquivo SFV. Estes são usados principalmente no local (FTP) para verificar se todos os arquivos estão completos.
Programas: pdSFV ou o hkSFV,

 


SISTEMAS DE IMAGENS

NTSC / PAL: NTSC e o PAL são os dois padrões principais usados através do mundo. NTSC tem um frame mais elevado do que o PAL (29fps comparado a 25fps), mas o PAL tem um definição de melhor qualidade. Os dois tipos de padrões podem ter variações, sendo que no Brasil usa-se o padrão PAL-M e nos EUA o NTSC, para TVs, vídeos-cassete, DVDs.

 

FORMATOS DE VÍDEO

AVI: Audio Video Interleave. Formato de vídeo mais usado em PCs com o Windows. Ele define como o vídeo e o áudio está junto um ao outro, sem especificar um codec.

MPEG: É a abreviação de Motion Picture Expert Group e é a fonte de pesquisa para formatos de vídeo em geral. Este grupo define padrões em vídeo digital, estão entre eles o padrão MPEG1 (usado nos VCDs), o padrão MPEG2 (usado em DVDs e SVCDS), o padrão MPEG4 e vários padrões de áudio - entre eles MP3 e AAC. Arquivos contendo vídeo MPEG-1 ou MPEG-2 podem usar tanto .mpg quanto .mpeg na extensão.

OGM: Pode ser usado à uma alternativa ao .avi e pode conter Ogg Vorbis, MP3 e AC3 áudio, todos os formatos de vídeo, informação por capítulos e legendas.

WMV/WMA: Formato proprietário da Microsoft para áudio e vídeo no PC. É baseado em uma coleção de codecs que podem ser usados pelo Windows Media Player para reproduzir arquivos codificados em vários formatos.

RM/RA/RMVB: É o formato proprietário da Real Networks, uma das principais adversárias da Microsoft no segmento de multimídia online.

MOV: Formato criado pela Apple para o Quicktime, o seu programa de multimídia - também disponível para Windows.

ASF: Advanced Streaming Format. Esta é a resposta da Microsoft à Real Media e à qualquer tipo de media streaming.

VCD: É um formato baseado em MPEG-1, com um bit-rate constante de 1150kbit em uma definição de 352x240 (NTSC). VCD's são usados geralmente para obter de uma qualidade mais baixa com o objetivo de tamanhos menores. VCD's e SVCD's são cronometrados nos minutos e não em MB, assim que ao olhar um, parecer maior do que a capacidade de disco e na realidade pode cabe 74min em um CDR74.

SVCD: SVCD é baseado em MPEG-2 (como no DVD), que permite maiores taxas de variáveis até 2500kbits em uma definição de 480x480 (NTSC), que descomprimida em uma relação de aspecto de 4:3. Devido ao bit-rate variável, o comprimento que você pode ocupar em um único CDR não é fixo, geralmente entre 35-60 min.

XVCD/XSVCD: Estes são basicamente VCD/SVCD melhorados. São ambos capazes de definições e de melhores taxas, muito, mas elevadas. Muito difícil de encontrar.

CVD: O CVD é uma combinação dos formatos VCD e SVCD, e é suportado geralmente por uma maioria de players de DVD. Suporta as bit-rates MPEG2 de SVCD, mas o uso de uma definição de 352x480(ntsc) como a definição horizontal são geralmente mais menos importantes. Atualmente nenhum grupo libera produtos no formato CVD.

KVCD: É uma modificação ao padrão MPEG-1 e MPEG-2. Habilita criar CDs de 120 minutos com qualidade perto do DVD em CDs de 80 minutos. Porém já existe especificações que geram vídeos de 528x480 (NTSC) e 528x576 (PAL) e MPEG-1 com bitrate variável entre 64Kbps e 3000Kbps. Usando uma resolução 352x240 (NTSC) ou 352x288 (PAL), é possível "encodar" vídeos com até 360 minutos com qualidade perto de um VCD num CD de 80 min.

KDVD: Formato de arquivo 100% compatível com MPEG_2, capaz de rodar em qualquer DVD Player Standard. Esta tecnologia habilita 6 horas de filme em Full D-1 720x480 num DVD, ou algo em torno de 10 horas em Half D-1 352x480 no meso DVD.

 

ENTENDENDO UM POUCO MAIS

Bitrate: Bitrate está diretamente ligado à nitidez (qualidade) do filme/música. Quer dizer que em formatos de compressão de áudio e vídeo como MPEG3 e MPEG4, quanto maior for o bitrate mais vezes por segundo o som ou filme original estará sendo reproduzido. O bitrate pode variar, sendo que taxam mais altas de bitrate criam som/vídeo de melhor qualidade.

Frame: A fonte básica de um filme. Um frame representa uma foto. Um filme utiliza geralmente 24 frames por segundo (dobro da quantidade de fotos necessárias passadas constantemente na sua frente para se obter noção de movimento). Imagine um desenho, onde uma moto está na direita do vídeo, ao passar os frames à moto vai se movimentando para a esquerda.

FPS: Definição de Frames per Second, ou frames por segundo. Ajuda bastante saber isso na hora de converter legendas ou procurá-las na internet.

VBR: Bitrate Variável. É possível "encodar" áudio e vídeo com bitrate variável, o que não usa o mesmo bitrate para o arquivo inteiro (como no CBR = Bitrate Constante). Partes mais complicada do vídeo/áudio vão receber mais bitrate para que a aparência/sonoridade seja melhor, e assim como partes menos complicadas irão receber menos bitrate. Geralmente arquivos com VBR são melhores que outros que contém CBR.

 

CODECS

É a abreviação de COder/DECoder ou codificador/decodificador. Equipamento ou programa que converte os sinais analógicos de som, voz e vídeo em sinais digitais e vice-versa. São exemplos de codecs: DivX, XviD (video) e MP3/AC3 (som).

 

CODECS DE VÍDEO

DivX / XviD: Dois codecs de última geração sendo o DivX mais antigo. Estão baseados no formato de compressão MPEG-4, compressão de vídeo de alta qualidade. Alguns chamam o MPEG-4 de "MP3 do vídeo". Com os arquivos em DivX você poderá assistir os filmes com qualidade de DVD som de CD, no seu PC. XVid já possui uma tecnologia melhor que o DivX, portanto necessita de PCs mais potentes para rodar. XViD é melhor que o DivX.

 

CODECS DE ÁUDIO

AC3: É uma modificação ao padrão MPEG-1 e MPEG-2. Habilita criar CDs de 120 minutos com qualidade perto do DVD em CDs de 80 minutos. Porém já existe especificações que geram vídeos de 528x480 (NTSC) e 528x576 (PAL) e MPEG-1 com bitrate variável entre 64Kbps e 3000Kbps. Usando uma resolução 352x240 (NTSC) ou 352x288 (PAL), é possível "encodar" vídeos com até 360 minutos com qualidade perto de um VCD num CD de 80 min.

AAC: Advanced Audio Coding, será o sucessor do AC3. É baseado no AC3, mas acrescenta uma variedade de melhorias em diversas áreas. Atualmente é difícil encontrar um player ou hardware que suportem esse novo formato de áudio.

 

MÍDIAS

DVD-R (DVD): É a mídia gravável de DVD que parece ser a mais popular grava geralmente 4.7gb de dados. Pode apresentar-se também como DVD-R DL (Dual-Layer), assim estendendo sua capacidade para quase 10 gb de dados, mas podendo ser gravados somente em gravadoras que suportem esse tipo de mídia (Ao contrário do que muitos pensam, podemos gravar vários tipos de dados nessa mídia, inclusive MP3, documentos e imagens).

DVD-RW: É a mídia re-gravável de DVD e tem as mesmas capacidades de armazenamento do DVD-R.

MiniDVD: É o mesmo formato que DVD mas em um CDR/CDRW padrão. Por causa do resolution/bit-rates elevado, somente é possível caber aproximadamente 18-21 minutos do gravação por disco, e seu formato é somente compatível com alguns players.

CD-R (CD): É a mídia gravável de CD que é a mais popular grava geralmente 700 Mb de dados ou 80 min. Pode apresentar-se também com um tamanho pouco maior que proporcionará gravações de até 900 Mb ou 90 min.

CD-RW: É a mídia re-gravável de CD e tem as mesmas capacidades de armazenamento do CD-R.

MiniCD: É o mesmo formato padrão do CD-R. Mas somente é possível caber aproximadamente 18-21 minutos do gravação por disco, e seu formato é somente compatível com alguns players.

 

ENTENDENDO UM POUCO MAIS

BIN / CUE: Bin e Cue são dois arquivos pertencentes à uma imagem de CD-R/RW ou DVD. Alguns releases de SVCD E VCD são lançados nas imagens dos próprios CDs. Para abri-lo você pode usar tanto o Daemons tools (note que não necessita da Cue para fazê-lo se você alterar para mostrar todos os arquivos, ele abrirá às a BIN) ou queimá-lo com o Nero ou CDRWin. Aconselha-se o CDRWin, por ser o programa que cria esse tipo de imagem.
 

 


Fonte: mistershare.org