Protocolo QUIC – Como funciona e agiliza o carregamento de sites

QUIC é o novo protocolo projetado pelo Google que visa utilizar a baixa latência do UDP com os recursos de pacotes do TCP para tornar a internet mais rápida.

O Google quer acelerar a web com seu protocolo QUIC. É provável que você nunca tenha ouvido falar nisso, mas se você for um usuário do Chrome, é bem provável que você já usou o QUIC do Google.

O Google divulgou esta semana que metade de todas as solicitações do Chrome para os servidores do Google estão usando e servindo o QUIC.

Protocolo QUIC

O que é o QUIC e como funciona?

O QUIC é um protocolo de transporte experimental de baixa latência da internet do Google sobre o UDP, um protocolo que é usado frequentemente por jogos, streaming de mídia e serviços VoIP. O nome “QUIC” representa uma conexão rápida de internet UDP.

Na internet é comumente utilizado o protocolo TCP (que combinado com o protocolo Internet (IP), torna-se a linguagem de comunicação do núcleo da internet). UDP é significativamente mais leve do que o TCP, mas em contrapartida, dispõe de serviços de correções de erros menos eficientes que o TCP. Isto significa que o servidor de envio não está constantemente se comunicando com o servidor de recebimento para verificar se o pacote chegou e se eles chegaram na ordem correta, por exemplo.

É por isso que o UDP é ótimo para serviços de jogos, pois você necessita de baixa sobrecarga reduzindo assim a latência entre o cliente e servidor. Mas para sites isso não seria ideal, pois com perda de pacotes, textos, imagens e outros itens poderiam não aparecer corretamente.

Com o QUIC o Google visa combinar algumas das melhores características do TCP e UDP com ferramentas de segurança modernas.

funcionamento-protocolo-quic

Em uma conexão de TCP segura típica, normalmente demora dois ou três ciclos antes que o navegador possa realmente começar a receber os dados. Usando o QUIC, um navegador pode imediatamente começar a conversar com um servidor que já conversou antes. QUIC também introduz dois novos recursos, como o controle de congestionamento e retransmissão automática, tornando-se mais confiável que o UDP puro.

Com SPDY, que mais tarde se tornou a base para o padrão HTTP/2, o Google já desenvolveu outro protocolo alternativo que tinha muitos dos objetivos do QUIC, mas HTTP/2 ainda funciona sobre o TCP, tendo como problemas a latência.

Você pode se perguntar: Por que o Google não trabalha na melhoria do TCP que já é tradicional e muito utilizado, em vez de criar um novo protocolo? A empresa ressalta que o TCP normalmente é construído diretamente no kernel do sistema operacional. Com isso o Google não pode ter o controle sobre o protocolo.

Se o Google realmente quer que o QUIC funcione, todas as máquinas que compõem a espinha dorsal da internet também terão que entender este novo protocolo, apesar de eles já entender o UDP.

A empresa diz ter visto melhorias de 3% nos tempos de carregamento de páginas com QUIC quando se se pesquisa no Google. Pode não parecer muito, mas você deve lembrar que o site de pesquisas do Google já é muito otimizado. Em outros sites essa melhoria poderá ser muito maior, principalmente em sites menos otimizados ou hospedados em servidores distantes do cliente.

Os usuários que se conectam ao YouTube com o QUIC tem notado uma melhoria de 30% no carregamento dos vídeos e rebuffers devido ao controle de congestionamento melhorado contra perdas do QUIC.

Google diz que pretender propor HTTP2-over-QUIC para o IETF como um novo padrão da internet no futuro.

Se você quer saber quando o Chrome está usando o protocolo SPDY ou QUIC, basta instalar este extensão https://chrome.google.com/webstore/detail/http2-and-spdy-indicator/mpbpobfflnpcgagjijhmgnchggcjblin?hl=pt-br que ao um site ou serviço que utilize este novo protocolo um ícone perto da barra de endereço irá aparecer.

Uma forma de ver quais sites ou endereços usam o QUIC é digitar o seguinte endereço abaixo no navegador Chome:

chrome://net-internals/#quic