Processadores mistos – AMD fusion e Intel Larrabee – CPU+GPU GPGPU

Que os processadores estão evoluindo, isso não é novidade, pois é natural essa melhoria em qualquer área devido às necessidades do usuário, cada vez mais exigente e a própria concorrência entre os fabricantes.

Agora, a idéia de unir nos processadores CPU com instruções de processamento gráfico GPU será excelente e uma novidade interessante e empolgante devido aos sistemas operacionais, como Windows Vista e Linux com o Berry/Compiz começarem a exigir mais processamento gráficos em suas interfaces.

Processadores mistos CPU+GPU

Não só isso, todos sabemos que um bom processador gráfico melhora e muito a velocidade do computador, principalmente entre trocas de janelas, codificação de arquivos de imagens, ao visualizar filmes, games, etc.

Por isso a Intel e a AMD estarão lançando pelo segundo semestre de 2009, processadores com processamento de GPU integrado.

Com os processadores com cada vez mais núcleos, por que não usar uma parcela destes núcleos para processamentos GPU (gráficos)?

Intel Larrabee e AMD Fusion

Assim a idéia é colocar uma parte dos núcleos para funcionar como uma aceleradora de vídeo.

 

Sobre o AMD Fusion

A AMD é uma das pioneiras nesta idéia e estará lançando seu processador CPU+GPU até o 2º semestre de 2009.

Essa idéia nasceu após a fusão da AMD que fabrica chips de processamento com a ATI que fabrica placas gráficas.

A proposta do processador Fusion (fusão) é oferecer uma utilidade mais generalizada do computador, indicado assim para propostas gerais, para manipulação de dados, gráficos e media em geral.

AMD fusion

Algumas características do novo processador:

  • Unificação da GPU e CPU em um único chip de processamento;
  • Destinado a propostas gerais, tanto para computadores de escritório quanto para jogadores;
  • Estará introduzindo a nova tecnologia denominada “M-SPACE” onde será possível aumentar a gama de combinações e variações em sua arquitetura para diferentes utilizações de seus componentes;
  • As unidades de processamento do Fusion incluirão múltiplos mini núcleos que quebrarão os programas em códigos, como nos games 3D, processando assim muito mais rapidamente as informações;
  • O processamento gráfico será baseado nas novas placas gráficas da ATI que serão lançados no ano que vem, possivelmente no modelo RV800;
  • As primeiras unidades lançadas serão destinadas a notebooks e laptops, baseados em configurações de núcleo duplo e quádruplo e após serão lançados para desktops;
  • Mesmo tendo núcleos com processamento GPU, será possível inserir placas de vídeos adicionais para melhorar ainda mais o desempenho;
  • O processo de fabricação será de 45 ou 40 nanômetros e em 2010 passará a ter 32 nanômetros e tamanho;
  • Terá cachê L3 e cálculos SSE5;
  • O chip terá 10% mais pinos que os atuais no mercado;
  • Será baseado em instruções DirectX 10.1;
  • Terá como base o processador Phenom.

 

Sobre o Intel Larrabee

Na semana passada a Intel convidou alguns jornalistas para revelar algumas informações sobre a próxima geração de processadores e chips da Intel, chamado Larrabee que assim como o AMD Fusion e Nvidia CUDA, será um processador com GPU integrado.

Larry Seiler, Senior Principal Engineer da Intel, explicou e explicou aos jornalistas que nos primórdios da computação, o próprio processador é que gerava todas as informações e imagens na tela. Na época isso era relativamente fácil já que as telas eram formadas por 24 linhas x 40/64/80 colunas.

Intel Larrabee

Com o passar dos anos os gráficos nos computadores começaram a ser mais exigidos e o processador sozinho já não dava mais conta de tudo. Foi ai que começaram a surgir os aceleradores de vídeo, que processam a parte de vídeo no computador e tiram um pouco o peso das costas do processador principal (CPU).

O Larrabee não passa de uma série de chips x86 interconectados por um barramento de dados de alta velocidade que interliga as CPUs aos vários subsistemas do processador, como os módulos de funções fixas como a lógica de textura, interfaces de vídeo, controlador de memória etc. Assim, é possível fazer com que cada núcleo seja responsável por um estágio de processamento de uma imagem gráfica (cálculo de vértices, texturas e iluminação, renderização etc.), hoje realizado por um circuito físico com funções fixas.

Desse modo, é possível otimizar o desempenho de cada estágio de acordo com o tipo de trabalho e até dinamicamente, de acordo com o contexto. Isso também explica como o Larrabee pode funcionar tanto com DirectX ou OpenGL, que passam a ser apenas uma implementação de software como era nos primórdios da computação pessoal.

Mas para tirar proveito de todo esse potencial, o desenvolvedor poderá programar ou modificar as rotinas de processamento do Larrabee diretamente no seu código fonte (um dialeto de C/C++) ou por meio de uma camada de software que compatilizaria o Larrabee com o atuais ambientes de desenvolvimento.

Por causa disso, a Intel não acredita que os desenvolvedores de jogos sejam os primeiros a cair de cabeça no Larrabee, e sim o pessoal de computação científica e empresas que demandam processamento gráfico mais pesado como empresas de mineração e exploração de petróleo.

Também existe em processo de desenvolvimento a Nvidia CUDA e a outra tecnologia da AMD, o AMD FireStream.

Novos Processadores

Com o tempo falaremos sobre isso e também teremos mais novidades em relação aos novos processadores mistos AMD Fusion e Intel Larrarre.