Guia com Dicas de Segurança para Utilizar seu Banco e não ser Roubado

Preparamos uma miscelânea de informação referente a dicas para que você possa se prevenir das ameaças de landrões especialistas em roubar clientes de bancos tanto na internet quanto fora dela e também o que você pode fazer caso suspeite ou tenha sido roubado.

SENHA E CARTÃO MAGNÉTICO

  • Evite as fraudes eletrônicas noticiadas pelos jornais e programas de TV, adotando procedimentos de segurança recomendados para uso de cartões magnéticos e internet banking.
  • Acompanhe permanentemente os lançamentos em sua conta corrente.
  • Mantenha sempre à mão o número do telefone da sua agência e da Central de Atendimento do seu banco.
  • Entre em contato imediatamente com o seu banco, no caso de constatar qualquer crédito ou débito duvidoso ou numa emergência relacionada a furto, extravio de cheques e cartões, tentativas de obtenção indevida de número de agências, contas e senhas, evitando transtornos maiores.
  • Cada banco tem seu procedimento específico para tratar os casos de débitos não reconhecidos pelos seus clientes. Caso o cliente verifique algum saque indevido em sua conta, deve registrar Boletim de Ocorrência policial e comunicar o fato ao banco por escrito, solicitando protocolo de recebimento em cópia e a restituição do valor e de eventuais encargos que nele incidirem.

 

PROTEJA SUA SENHA

  • As fraudes são praticadas porque, de forma ardilosa, o fraudador consegue obter a senha do cliente, observando indevidamente quando ele a digita na máquina de auto-atendimento, quando ele a informa por telefone ou quando alguém oferece o celular para a pessoa ligar para o banco (lembre-se de que o celular memoriza a senha como se fosse o número de um telefone). Portanto, a guarda da senha é vital para a sua segurança e de sua inteira responsabilidade.
  • Com ela na mão, o fraudador tem mais chance de ter êxito.

 

CUIDADOS COM O CARTÃO MAGNÉTICO

  • O cartão magnético, por exemplo, pode ser trocado após uma queda, se alguém o apanha e pega para si, devolvendo ao cliente um outro cartão, diferente daquele que caiu. Essa troca pode acontecer quando alguém empurra o cliente de propósito para o cartão cair ou quando o cliente permite que algum estranho use o cartão por ele numa transação qualquer.
  • O cartão pode ser furtado, sem que o cliente perceba na hora, ou roubado, mediante violência ou ameaça. Também pode ser clonado, ou seja, é feita uma cópia da tarja magnética de um cartão legítimo e aplicada num cartão falso. Naturalmente, com o cartão clonado, o fraudador só poderá realizar transações se também conhecer a senha do cliente.
  • Por isso, os bancos introduziram novas formas de registrar a senha e identificar o cliente quando ele acessa os terminais de auto-atendimento ou internet. Algumas dessas formas são:
    • não aceitar a gravação de senhas óbvias (datas de aniversário, nomes, telefones etc.);
    • determinar uma quantidade mínima de caracteres (número mínimo de letras e números);
    • determinar a gravação de senhas alfanuméricas (letras e números);
    • exigir a gravação de senhas diferentes para os caixas automáticos e para a internet;
    • fazer identificação positiva do cliente (ou seja, a solicitação prévia de algum dado pessoal);
    • exigir a redigitação da senha em cada nova transação;
    • usar o teclado virtual.

 

A RESPONSABILIDADE DOS BANCOS

  • Os bancos são responsáveis pela preservação da integridade, da legitimidade, da confiabilidade, da segurança e do sigilo das transações realizadas nos serviços que oferecem, mas sua ação protetora não consegue garantir isso nas ações e atitudes que dependem exclusivamente dos clientes.
  • Os clientes devem estar sempre atentos. Devem levar em consideração os alertas e informações fornecidos na aquisição do produto, divulgados nos cartazes e nos terminais de auto-atendimento.
  • Na dúvida, pergunte aos funcionários do banco.
  • Nunca aceite ajuda de estranhos, de pessoas não autorizadas ou não identificadas.

 

INTERNET: USO COM SEGURANÇA

  • Os bancos mantêm fortes sistemas de segurança em seus computadores e nos programas de acesso via internet, mas não têm como garantir a segurança do computador do cliente, do de provedores ou do de terceiros, que o cliente eventualmente use. Sempre que possível, utilize os teclados virtuais disponibilizados pelo seu banco.
  • Os bancos não enviam a seus clientes e-mails com links para acesso às suas páginas, e-mails pedindo atualização de cadastro ou qualquer outro tipo de informação, especialmente número de agência, de conta-corrente e senha e e-mails com arquivos executáveis anexados.
     

 

PARA UTILIZAR A INTERNET COM SEGURANÇA, OS BANCOS FAZEM AS SEGUINTES RECOMENDAÇÕES

  • Manter programas antivírus atualizados instalados no computador que utilizar para ter acesso aos serviços bancários.
  • No caso de internet, especialmente no uso de alta velocidade, com conexão direta à rede, utilizar um programa de segurança que possa proteger a máquina de invasões e acessos externos não autorizados, os quais, muitas vezes, passam despercebidos.
  • Trocar a sua senha de acesso ao internet banking periodicamente.
  • Só utilizar equipamentos efetivamente confiáveis. Não realizar operações em equipamentos que não tenham programas antivírus atualizados nem em equipamentos que não conheça. Existem programas utilizados por fraudadores para capturar as informações do cliente quando digitadas no computador.
  • Não executar aplicações, nem abrir arquivos de origem desconhecida.
  • Eles podem conter vírus e outros procedimentos prejudiciais, que ficam ocultos para o usuário e permitem a ação de fraudadores sobre sua conta, a partir de informações capturadas após a digitação no teclado.
  • Usar somente provedores confiáveis. A escolha de um provedor deve levar em conta também seus mecanismos, suas políticas de segurança e a confiabilidade da empresa.
  • Ter cuidado com e-mails não solicitados ou de procedência desconhecida, especialmente se tiverem arquivos anexados. Correspondências eletrônicas também podem trazer programas desconhecidos que oferecem diversos tipos de riscos à segurança do usuário.
  • É mais seguro excluir (deletar) os e-mails não solicitados e sobre os quais não se tenha absoluta certeza de que procedem de fonte confiável. Tomar cuidado especialmente com arquivos e endereços obtidos em salas de bate-papo (chats). Alguns desses chats são freqüentados por hackers.
  • Evitar sites arriscados e só fazer transferência para o seu computador de arquivos (download) de sites que conheça e cuja confiabilidade seja indiscutível.
  • Utilizar sempre as versões mais atualizadas dos programas de navegação (browser), pois geralmente incorporam melhores mecanismos de segurança.
  • Quando for efetuar pagamentos ou realizar outras operações financeiras, certificar-se de que está no site desejado, seja do banco ou outro qualquer, clicando sobre o cadeado e/ou a chave de segurança que aparece quando se entra na área de segurança do site.
  • O certificado de habilitação do site, concedido por uma certificadora autorizada, aparecerá na tela, confirmando sua autenticidade, juntamente com informações sobre o nível de criptografia utilizada naquela área pelo responsável pelo site (SSL). Não é aconselhável inserir novos certificadores no programa de navegação (browser), a menos que conheça todas as implicações decorrentes desse procedimento.
  • Se estiver em dúvida sobre a segurança de algum procedimento que executou, entrar em contato com o banco. A prevenção é a melhor forma de segurança.
  • Manter-se atento aos meios de comunicação, que estão permanentemente divulgando dicas de segurança na utilização da internet.

 

REPRODUZIMOS ABAIXO ALGUMAS ORIENTAÇÕES BÁSICAS QUE OS BANCOS FORNECEM AOS CLIENTES

  • Jamais fornecer sua senha a terceiros.
  • Não anotar a sua senha em papéis, rascunhos ou no próprio cartão.
  • Não emprestar seu cartão a ninguém.
  • Não permitir que estranhos examinem seu cartão sob qualquer pretexto, pois, sem que você perceba, pode haver uma troca.
  • Ao escolher a senha, não utilizar números previsíveis (data de nascimento, número de telefone residencial, placa do automóvel etc.).
  • Não guardar o cartão e a senha no mesmo lugar.
  • Comunicar imediatamente à Central de Atendimento do banco a perda, o roubo ou o extravio de cartão, pedindo o seu cancelamento.
  • Em caso de assalto, furto ou roubo, registrar a ocorrência na delegacia mais próxima, comunicando antes o fato ao banco.
  • Dar preferência a caixas automáticos instalados em locais de grande movimentação e, se possível, em ambientes internos (shoppings, lojas de conveniência, postos de gasolina etc.).
  • Sempre que possível, fazer seus saques no horário comercial, quando o movimento de pessoas é maior, evitando o horário noturno.
  • Quando isso for inevitável, levar um ou mais acompanhantes adultos para que fiquem fora da cabine, como se estivessem na fila.
  • Nunca aceitar ou solicitar ajuda de estranhos.
  • Ficar atento à presença de pessoas suspeitas no interior da cabine ou nas suas proximidades. Na dúvida, não fazer a operação.