Não existe segredo para limpar monitores de LCD (Liquid Crystal Display), ou cristal líquido. Mas é importante tomar alguns cuidados simples ensinados por fabricantes para garantir a conservação do equipamento.

A Philips, por exemplo, recomenda que não se use produtos à base de acetona, tolueno ou álcool para limpar a superfície da tela. Segundo a fabricante, estes produtos químicos causarão danos ao equipamento, como por exemplo, o desbotamento das cores. Detergentes e desinfetantes também estão expressamente proibidos.

O ideal para retirar marcas de dedo ou impressões digitais, de acordo com a assistência técnica HCL Eletrônica, autorizada da Sony e Panasonic, é usar um pedaço de algodão levemente umedecido com água e passá-lo suavemente na tela. Para limpar a poeira deve-se usar apenas um pano macio, como uma flanela. Jamais utilize objetos ásperos ou pontiagudos para remover sujeiras da superfície.

Outra dica importante da Philips é, caso espirre acidentalmente algum líquido na tela, limpe-a imediatamente. Não deixe secar porque o tempo de exposição a líquidos pode causar deformações na superfície. Os fabricantes também alertam para prestar atenção a mudanças bruscas de temperatura que podem causar estragos aos monitores. O ar pode condensar na tela e umedecê-la. Isso resulta em danos como manchas ou marcas, além de prejudicar componentes elétricos.

E para limpar telas de plasma?

Os cuidados a serem tomados com monitores de plasma são os mesmo indicados para o caso de LCD, já que as duas tecnologias são similares. A diferença fundamental entre os dois tipos de tela é que as de plasma emitem luz individualmente em cada ponto da tela, graças a “células” de gás neon e xenônio. Já o LCD depende do backlight, fonte de iluminação posicionada atrás da tela, para emitir luz.


Fonte: WNews.